Caixa d’água em condomínios: com qual frequência limpar?

Manter a limpeza das caixas d’água é uma responsabilidade compartilhada entre todos os moradores de um condomínio. O síndico ou a administradora têm um papel fundamental em garantir que as caixas d’água sejam limpas regularmente, mas também é importante que os moradores denunciem qualquer problema ou suspeita de contaminação da água. Caso tenham problemas de saúde decorrentes da utilização da água armazenada, a responsabilidade pode ser compartilhada entre o síndico, os moradores e até mesmo a empresa responsável pela limpeza da caixa d’água. Por isso, é importante que todos se conscientizem da importância da limpeza regular das caixas d’água e se engajem nesse processo.

Entenda a importância de limpar a caixa d’água

É fundamental compreender que as caixas d’água passaram por cuidados especiais antes de iniciar o processo de comunicação. É responsabilidade de qualquer administrador predial garantir que a água seja segura para os moradores e trabalhadores, e a limpeza com cloro não é suficiente para garantir a pureza da água.

É comum que sujeiras e objetos contaminantes, como insetos, entrem em contato com a água pelo encanamento, o que dificulta o processo de purificação. Isso pode levar a doenças como febre, diarreia, vivências e vômitos.

Portanto, mesmo que as empresas de abastecimento realizem o tratamento adequado, é importante que o administrador execute ações complementares, como verificar a qualidade da água e revestir a caixa d’água com tinta epóxi para garantir a atoxidade.

Não é necessário um laboratório e produtos químicos para avaliar a qualidade da água, uma vez que o sabor, odor, cor e turbidez podem ser observados pelo próprio usuário. É recomendado limpar a caixa d’água a cada 6 meses, mas para grandes reservatórios é aconselhável contratar uma empresa especializada.

A manutenção da higiene das caixas d’água é essencial para a saúde de todos, e o síndico ou a administradora de condomínio são os responsáveis ​​por garantir a descontaminação da água. Além disso, a limpeza das caixas d’água traz diversos benefícios, como garantir o armazenamento seguro da água potável, prevenir contaminações e atendimentos prioritários, evitar o entupimento de canos e torneiras, e impedir o atendimento antecipado de agentes causadores de crises.

Qual a frequência recomendada?

A ausência de limpeza adequada da caixa d’água pode trazer graves consequências à saúde, uma vez que o contato com microrganismos originados de possíveis contaminações pode levar a doenças como hepatite e leptospirose. Além disso, uma instalação mal executada pode provocar problemas diretos no encanamento do prédio, aumentando a complexidade da solução.

Para garantir uma limpeza eficiente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) estabelece regulamentações específicas. De acordo com suas normas, é recomendável que uma visita seja realizada a cada seis meses. Especialistas ainda sugerem que o processo de limpeza tolerado em épocas específicas do ano, como em outubro e fevereiro, para que o consumo esteja preparado para enfrentar o inverno e o verão, períodos em que a falta de água pode ser especialmente problemático.

Além disso, a ANVISA determina que grandes reservatórios, tanto os modelos tubulares quanto os em taça, devem ser aprovados a testes de potabilidade da água. Tais análises devem ser conduzidas apenas por profissionais capacitados ou empresas especializadas em qualidade de água.

Como limpar o reservatório do condomínio?

Existem diferentes métodos de limpeza de caixas d’água, e a escolha do método mais adequado deve ser feita de acordo com as características do reservatório e da água, bem como com as normas da Anvisa. Entre os métodos mais comuns estão o esgotamento total da água, a remoção de sujeiras com escovas, a aplicação de produtos químicos, a influência de cloro ou ozônio, e o uso de equipamentos de alta pressão para lavagem.

No entanto, é importante ressaltar que, além de seguir as normas da Anvisa, os responsáveis ​​pela limpeza devem tomar medidas de segurança, como usar equipamentos de proteção individual, e garantir que os produtos químicos usados ​​não afetem a qualidade da água. Além disso, é recomendável que os moradores do condomínio sejam informados sobre o processo de limpeza e, se possível, orientados sobre o uso de água durante o período de limpeza.

Ao contratar uma empresa para fazer a limpeza da caixa d’água, é importante verificar sua experiência e qualificação, bem como se ela possui todas as licenças e autorizações necessárias. A escolha de uma empresa confiável e especializada pode garantir a eficiência e a segurança do processo de limpeza, confiante para a qualidade da água e a saúde dos moradores.

Limpeza robótica

A limpeza robótica é uma opção muito prática e conveniente, pois não requer o esvaziamento da caixa d’água. Além disso, os moradores podem continuar a usar a água normalmente durante o processo de limpeza, que é realizado por uma máquina capaz de limpar o ambiente em 360 graus. Embora o tempo necessário para a limpeza varie de acordo com o tamanho do reservatório, a utilização de robôs permite uma limpeza mais eficiente e segura, sem a necessidade de deslocar o trabalhador para o interior da caixa d’água. No entanto, é importante lembrar que nem todas as caixas d’água são compatíveis com a limpeza robótica, por isso é importante consultar um profissional qualificado para avaliar a viabilidade do método.

Limpeza manual

A limpeza manual da caixa d’água é o método mais comum, e geralmente é realizado por um técnico especializado no modelo do reservatório. Antes da limpeza, o profissional solicite o fechamento do registro até 3 dias antes e o local deve estar completamente esvaziado para que ele possa entrar e realizar uma higienização manualmente.

A duração da limpeza manual pode variar de acordo com o tamanho da caixa d’água e a quantidade de pessoas trabalhando nela. Por isso, é importante que o responsável pela administração do prédio se programe com antecedência para evitar transtornos.

artigos

Como funciona o tratamento de esgoto em BH

As águas residuais são águas utilizadas em casas, empresas, indústrias e agricultura. Também inclui qualquer água pluvial ou subterrânea que entre no sistema de esgoto.  As